Consultório litúrgico

Missa de defuntos

(IGMR 335-341: EDREL 618-624)


Entre as Missas dos defuntos, está em primeiro lugar a Missa exequial, que pode celebrar-se todos os dias, excepto nas solenidades de preceito, na Quinta-feira da Semana Santa.

A Missa de defuntos «depois de recebida a notícia da morte» de uma pessoa, ou no dia da sepultura definitiva ou no primeiro aniversário, pode celebrar-se também nos dias dentro da Oitava do Natal, nos dias em que ocorre uma memória obrigatória ou uma féria, menos na Quarta-Feira de Cinzas e Semana Santa.

As Missas «quotidianas» de defuntos podem celebrar-se nos dias feriais do Tempo Comum em que ocorre uma memória facultativa ou se diz o Ofício da féria, contanto que sejam efectivamente aplicadas pelos defuntos.
Na Missa exequial deve fazer-se normalmente uma breve homilia, excluindo qualquer género de elogio fúnebre.

No ordenamento das partes variáveis da Missa de defuntos, (p. ex., orações, leituras, oração universal), sobretudo na Missa exequial, deve atender-se obviamente às razões de ordem pastoral, tendo em consideração a pessoa do defunto, a sua família e as pessoas presentes.

Nas Missas de defuntos deve preferir-se a cor violeta à cor negra. Os altares não devem ter flores. Pode utilizar-se o órgão e outros instrumentos para sustentar o canto (Inst. «Musicam sacram», n. 66: EDREL 2460).