A liturgia cume e fonte da misericórdia – Guião das celebrações

Preço: 6,50€

Ver

Catequeses para a Iniciação Cristã dos Adultos

Preço: 15,00€

Ver

A Celebração do Sacramento da Penitência

Preço: 3, 00€

Ver

Composições Sacras: Mário de Sousa Santos

Preço: 10, 00€

Ver

A beleza da Liturgia

Preço: 14, 00€

Ver

V Curso Nacional de Música Litúrgica – Exames Finais

Tem hoje início em Fátima, a época de exames do V Curso de Música Litúrgica, com a participação de 45 alunos. Com os exames finais, que decorrem de 23 a 30 de Agosto, dá-se por concluído esta quinta edição do Curso, que teve início em Agosto de 2013.

Continuar a ler

Porto: Encontros Regionais de responsáveis da Música Litúrgica

O Secretariado Diocesano de Liturgia do Porto «propõe-se, no próximo ano pastoral, reativar o Serviço Diocesano de Música Litúrgica. Esta reativação insere-se bem na dinâmica apontada pelo Plano Pastoral para 2016-17: ‘Com Maria, renovai-vos nas fontes da alegria’. A alegria do Evangelho canta-se. E o lugar, por excelência, deste canto, é a Liturgia da Igreja, seguindo o tom dado por Maria no seu Magnificat», refere o comunicado enviado ao SNL.

Continuar a ler

A propósito da tradução litúrgica de uma palavra do Salmo 47 (46)

Tenho reparado na tradução de um dos versículos do salmo responsorial (Salmo 46) que se canta na Missa da Ascensão do Senhor: “…o Senhor, o Altíssimo, é terrível”. Verifico que o mesmo Salmo 46 aparece, com essa mesma tradução, noutros cânticos litúrgicos dos Padres Manuel Luís, Fernandes da Silva, Ferreira dos Santos, Carlos Silva. Mas encontrei algumas honrosas/felizes excepções, onde a palavra “terrível”, é assim substituída: “… o Senhor, o Altíssimo, é Sublime”, “… o Senhor é “excelso” e “portentoso”. Consultando um dicionário verifico que à palavra “terrível” são atribuídos os significados seguintes: “que inspira terror”; “medonho”; “assustador”; “extraordinário”; “grande”; “forte”; “violento”; “muito mau”. Com excepção de três destes significados, todos os demais são desagradáveis de ouvir, pelo sentido negativo que a palavra “terrível” inspira, se aplicada a Deus, que é “bondade”, “amor” e “misericórdia”. Então parece-me uma grande contradição continuarmos a cantar que “… o Senhor, o Altíssimo, é terrível” e, por isso, parece-me razoável que no Salmo 46 fosse substituída a palavra “terrível” por uma das que apontei atrás: “sublime”, “excelso”, “portentoso” ou outra de significado semelhante.

Continuar a ler